6 Principais Erros Ao Realizar Estudos De Carga!

6 Principais Erros Ao  Realizar Estudos De Carga!

As regulamentações locais geralmente exigem das instalações que sejam realizados estudos de carga antes de adicionarem novas cargas ao painel existente. Engenheiros elétricos realizam estudos semelhantes para expansões em larga escala. O propósito é o mesmo: medir os níveis de carga (consumo de correntes trifásicas) após um ciclo de consumo de 30 dias, permitindo que os eletricistas e engenheiros determinem a quantidade de capacidade adicional disponível no painel elétrico. A maioria desses profissionais aprendeu na prática o que “não” fazer ao realizar estudos de carga. O risco: erros durante a configuração podem resultar na geração de dados errados e incompletos, invalidando os 30 dias de estudo. A seguir, um resumo dos seis principais erros que devem ser evitados ao realizar estudos de carga:
carga

1. Carregamento incompleto do registrador antes do início da sessão:
Antes de realizar os estudos de carga, verifique se a bateria do registrador de energia está completamente carregada. Assim como em qualquer produto, a bateria irá perder sua carga ao ser guardada – se ela for nova ou simplesmente pelo fato de não ter sido usada por algum tempo. Embora o registrador retire sua energia de uma tomada ou de uma linha de medição ao gravar, ainda é necessária a potência da bateria para visualizar as configurações e os dados antes da instalação e para a alimentação de backup, em caso de falta de energia.

2. Instalação do registrador no dijuntor ou painel incorreto:
Embora pareça óbvio, o técnico responsável pela instalação deve se certificar de que o registrador esteja sendo instalado no disjuntor ou painel correto. Em muitos locais há diversos disjuntores e painéis e, às vezes, pode não ser tão óbvio em qual deles o estudo de carga deve ser realizado. Em casos de dúvidas, entre em contato com a pessoa que solicitou o estudo e verifique qual carga ou painel deve ser monitorado.

3. Falta de verificação da fonte de alimentação e se está na tomada adequada:
Os estudos de carga são realizados em diversas localidades, como em apartamentos, prédios comerciais, instalações industriais e lojas de varejo. Com os modelos de registradores mais antigos, o procedimento padrão é conectá-lo a uma tomada próxima do
painel que está sendo estudado. O técnico responsável pela instalação do registrador deve se certificar de que a fonte de alimentação esteja funcionando e na tomada adequada controlada por um interruptor, relógio ou por uma célula fotoelétrica. Caso a tomada esteja alternando entre LIGADA e DESLIGADA em uma base regular as baterias do registrador serão drenadas e o registro será interrompido.

4. Não etiquetagem do cabo de alimentação:
A tomada que alimenta o registrador não pode estar localizada imediatamente adjacente à carga que está sendo monitorada,exigindo um cabo de extensão da tomada ao registrador. (Preferencialmente, um registrador que possa ser carregado em um circuito de medição). O cabo de extensão deve estar instalado para evitar problemas físicos, não oferecer riscos à equipe e não ser desconectado por acidente. Coloque um pedaço de fita adesiva na parede, próximo à tomada, com um aviso NÃO DESCONECTAR ou algum sinal especificamente projetado para evitar a desconexão do cabo pelos funcionários da segurança ou manutenção.

5. Configuração incorreta do registrador:
Faça sempre uma verificação simples de rotina antes de iniciar a sessão de registro para se assegurar de que todas as conexõesda fase de tensão se correspondem. Certifique-se de que a fase A do registrador está conectada à fase A do condutor, a fase B com a B, e a C com C. Em seguida, verifique a polaridade correta para cada sonda de corrente. A seta na sonda de corrente deve estar apontada para a carga. Verifique todas as fases para garantir que estejam apontadas para a mesma direção. Por fim, verifique se o instrumento está realizando a leitura corretamente: A potência está sendo medida como positiva (se a carga estiver operando) e o fator de potência exibe valores que parecem razoáveis de acordo com o tipo de carga. Usar um instrumento que verifica, destaca e corrige os erros de conexão automaticamente é, definitivamente, uma boa sugestão.

6. Falha ao não perceber o início do registro:
Configurar um registrador de energia para realizar estudos de carga é uma tarefa fácil, mas o erro mais simples – não ligar a função de registro – pode ser cometido. Após certificar-se de que os condutores de tensão e corrente estejam conectados à carga, selecione seus parâmetros de registro usando os botões e menus da unidade e pressione o botão “Iniciar registro” ou “Registro”. Você verá uma mensagem e um ícone na tela do registrador, indicando o início do registro. Como precaução, é bom aguardar até o primeiro intervalo de registro e verificar se os primeiros valores foram devidamente gravados. Dessa forma, você pode ter a certeza de que o processo foi iniciado e as configurações estão corretas.

 

Acesse Dutra/ Fluke e Confira Linha Completa de Produtos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *