São Paulo
July 25, 2024
Micrômetro: o que é, para que serve e como ler
Máquinas e Ferramentas

Micrômetro: o que é, para que serve e como ler

abr 3, 2024

O micrômetro é um dos aparelhos mais importantes para o crescimento da indústria em geral. Atualmente, todos que começam cursos de engenharia mecânica ou possuem algum contato com a indústria conhecem a ferramenta, que facilita no processo de medição.

Detalhe da marcação das medidas no micrômetro - Dutra Máquinas
Detalhe do Micrômetro

Você já parou para imaginar as dificuldades enfrentadas por empresas que fabricam peças ou máquinas e como funcionam as medições de pequenos componentes? Sem uma noção exata, qualquer alteração nessa etapa pode afetar o funcionamento do produto.

Foi por conta dessa necessidade que surgiu o micrômetro: uma ferramenta que resolve o problema de realizar essas pequenas e cuidadosas medidas. Continue a leitura e conheça com mais detalhes o que é, qual a utilidade dessa ferramenta e muito mais, confira!

O que é micrômetro?

O micrômetro é um instrumento matemático desenvolvido para realizar medições na milionésima parte do metro. O nome do instrumento também é utilizado para descrever grandezas que possuem o mesmo valor. Para entender melhor, saiba do que ele é composto:

Detalhe de peça inteira de um micrômetro - Dutra Máquinas
Micrômetro
  • Arco;
  • Isolante térmico;
  • Parafuso micrométrico;
  • Bainha;
  • Faces de medição;
  • Batente;
  • Porca de ajuste;
  • Catraca;
  • Trava;
  • Escala fixa;
  • Encosto móvel;
  • Tambor graduado.

Para utilizar o aparelho, basta girar o tambor graduado para a abertura correta e depois girá-lo no sentido contrário para fechar a peça.

Quando estiver bem encaixado e pronto para registrar a medida, o instrumento fará um barulho semelhante a um “clique”. Não se preocupe, pois, o aprofundamento a respeito de como medir com micrômetros está mais adiante.

Aproveite sua leitura e confira também nosso passo a passo sobre como calcular metro quadrado.

Qual a história do micrômetro?

Ao longo do desenvolvimento do setor industrial, tornou-se necessário criar aparelhos capazes de realizar medidas extremamente pequenas.

A primeira tentativa de realizar essa tarefa foi em 1638, com o astrônomo inglês William Gascoigne, um dos responsáveis por contribuir para a astronomia por meio de sua máquina medidora de distâncias entre estrelas.

Em 1693, Gascoigne inventou uma régua para medir e a chamou de micrômetro. O funcionamento dessa invenção é baseado em um eixo de um parafuso conectado a um volante giratório nas suas extremidades.

Após Gascoigne, outro modelo surgiu em 1772, com o britânico James Watt, o mesmo inventor da máquina a vapor. Diversas indústrias enfrentavam problemas devido à falta de um instrumento capaz de medir pequenas distâncias. Por isso, no ano de 1805, o inglês Henry Maudslay desenvolveu o seu próprio aparelho.

Pessoa utilizando o micrômetro em uma peça.
Utilização do micrômetro

Um tempo depois, um ex-funcionário de Maudslay chamado Joseph Whitworth realizou melhorias no instrumento. O design permitia medir até um milionésimo de polegada e o trabalho foi exibido em 1851, na Great Exhibitions of the Works of Industry of All Nations em Londres.

Com toda essa rica história, deu para notar que foram necessários diversos esforços e testes para o aperfeiçoamento do instrumento. Atualmente, os micrômetros estão mais potentes e os cientistas continuam a busca por melhorias nos aparelhos.

Como se lê um micrômetro?

A leitura desse instrumento se dá pela soma das medidas encontradas no tambor e na bainha. Na escala do tambor, as medidas correspondem a centésimos de milímetros e na bainha os números correspondem a milímetros. As linhas de baixo marcam um acréscimo de 0,5 mm na escala fixa.

A leitura deve ser realizada com a observação do andamento das duas escalas. Nas linhas da escala fixa, cada uma representa 12,5 mm, enquanto o tambor mostra o número 40 (correspondente a 0,40 mm, pois é a parte centesimal). 12,5 + 0,4 = 12,9 mm. Para uma maior precisão, é ideal que seu aparelho esteja limpo.

Por fim, quando terminar a medição, tenha muito cuidado ao retirar o objeto medido do instrumento, pois o menor dano ou movimento brusco pode comprometer a precisão dele.

Com esse tópico, você já tem conhecimento suficiente sobre o que é um micrômetro e agora cabe entender os vários tipos existentes no mercado. Vamos lá?

Quais são os principais tipos de micrômetros?

Com o conhecimento sobre o que é um micrômetro, vale ressaltar que existem muitos tipos desse instrumento no mercado, mas os dois principais são o externo e interno. O primeiro é o mais conhecido e serve para medir as espessuras das partes externas das peças e superfícies.

Atualmente, existem os formatos mecânico e digital dessa ferramenta. O interno é responsável por medir a parte interna das peças. Ele pode se dividir em 3 ou 2 contatos e ainda tubular, dependendo da medida desejada. Com isso em mente, seguem mais alguns exemplos da ferramenta para aplicações específicas:

  • Micrômetro de profundidade;
  • Micrômetro com arco profundo;
  • Micrômetro medidor de roscas;
  • Micrômetro com discos.

Cada um dos instrumentos citados na lista é apropriado para diversas situações, cabendo somente a você ou ao profissional que realizará as medições, analisar qual o mais adequado.

No momento da compra, converse com o vendedor sobre a calibração e sobre a qualidade do metal utilizado a fim de evitar problemas. Se preferir, leve alguém que tenha prática com o instrumento para te auxiliar na escolha do melhor aparelho.

Leia também: Saiba como usar um paquímetro analógico!

Quando usar um micrômetro?

Visto toda a explicação, muitos ainda podem se perguntar: Para que serve o micrômetro? Esse instrumento deve ser utilizado quando for necessário realizar medidas muito pequenas. Elas incluem:

Detalhe da parte de cima de um micrômetro - Dutra Máquinas
Quando usar um micrômetro?
  • Espessura;
  • Altura;
  • Largura;
  • Profundidade.

Por conta dessa ampla quantidade de medições possíveis, é muito comum o uso desses aparelhos em fabricantes de peças para máquinas em todo o setor da indústria, já que a engenharia mecânica não pode desconsiderar o uso desta ferramenta. Cientistas da física e até mesmo pessoas que lidam com relógios também utilizam bastante o aparelho para a medição de esferas.

É importante destacar também a relevância de se ter cuidado para conservar o instrumento em um local com temperatura ambiente devido à alta sensibilidade a choques térmicos e mecânicos.

A precisão do aparelho se desenvolveu com o passar do tempo e alcançou um nível de eficiência bem elevado. Enquanto o do francês J.Palmer possuía a capacidade de medição equivalente a 0,05 mm, hoje em dia é possível encontrar modelos que alcançam 0,0001 mm — uma evolução surpreendente.

Continue a leitura e descubra se você já possui todas as ferramentas básicas para ter em casa!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.